sábado, 17 de março de 2012

Kata Série Tekki







Veja mais videos e outros Kata em Postagens antigas de 2010



terça-feira, 13 de março de 2012

Consumir carne vermelha aumenta em até 20% os riscos de morte prematura


Probabilidade é maior com o consumo de uma porção de carne processada ao dia

carne vermelha
Carne vermelha: reduzir consumo do alimento, além de substituí-lo por outros, como peixes e aves, diminui mortalidade precoce (Thinkstock)
A carne vermelha não é saudável. Já se sabe. Mas pesquisadores não param de constatar argumentos contra ela. O mais recente é resultado de uma pesquisa publicada nesta segunda-feira no periódico Archives of Internal Medicine. Segundo o estudo, conduzido na Faculdade de Saúde Pública de Harvard, nos Estados Unidos, o consumo de carne vermelha pode aumentar os riscos de morte prematura, além do aparecimento de doenças cardiovasculares e câncer. Substituir esse alimento por outros, como por peixes e aves, significa diminuir a chance de morte prematura.

Saiba mais

CARNE PROCESSADA
A carne processada é a carne misturada com sal, temperos artificiais e conservantes, como o nitrito de sódio, por exemplo. Esta substância é adicionada a alimentos para fixar cor neles, além de evitar que eles estraguem rapidamente. Presunto, salsicha, linguiça e salame são exemplos de carne vermelha processada. Tanto os conservantes quanto a própria carne processada já foram relacionados por outras pesquisas a diversos problemas de saúde, como com o câncer de pâncreas, por exemplo.
Para chegar a essas conclusões, os pesquisadores analisaram dados de dois estudos sobre os hábitos alimentares de 37.698 homens e 83.644 mulheres durante 28 anos. Nesse período, foram registradas 23.926 mortes, sendo que 5.910 aconteceram devido a uma doença cardiovascular e 9.464, a algum tipo de câncer.
Os autores do estudo observaram que um maior consumo de carne vermelha foi associado ao aumento do risco de problemas cardiovasculares e casos de câncer. Embora essa chance tenha sido elevada para todos os tipos do alimento, ela foi maior em relação à carne vermelha processada. O mesmo foi identificado em relação a casos de morte prematura decorrentes de problemas de saúde em geral. Os resultados mostraram que comer uma porção de carne vermelha processada ao dia aumenta esse risco em 20%. Esse índice é de 13% para carne não processada.
Substituição saudável— A pesquisa também indicou que, além de comer menos carne vermelha, trocá-la por outros alimentos é capaz de diminuir as chances de morte prematura. Segundo o estudo, essa redução pode ocorrer com a substituição de uma porção de carne vermelha ao dia por uma porção de peixe, ave, frutas secas, legumes e de grãos. "Nós estimamos que 9,3% das mortes registradas no estudo entre os homens e 7,6% das mortes entre as mulheres poderiam ter sido evitadas se os participantes consumissem menos de meia porção de carne vermelha ao dia", afirma a pesquisa. Para os especialistas, comer menos carne vermelha significa reduzir as chances de doenças crônicas e, consequentemente, de mortalidade decorrente de problemas de saúde em geral.

Fonte:  Veja


Adapte a sua dieta ao horário de treino


Saiba como deve ser o prato de quem treina de manhã, à tarde ou à noite


POR LETÍCIA GONÇALVES
Quem começa só quer saber de resultados e, quanto mais rápidos eles vierem, melhor. O problema é que, nessa pressa toda, muita gente se esquece de um ponto fundamental nessa história: a importância da dieta para eliminar gordura e tonificar os músculos. O corpo pede nutrientes específicos e em quantidades certas - tanto antes quanto depois do treino. "Treinar com o estômago cheio demais ou com falta de carboidratos e proteínas, por exemplo, pode prejudicar o seu desempenho e a própria recuperação do organismo, atrapalhando os resultados desejados", afirma a nutricionista funcional Camila Borduqui, do Centro de Estética da Clínica Alan Landecker. Para ajustar o cardápio, há alguns cuidados que variam de acordo com o período do dia escolhido para a atividade física. 
Homem treinando de manhã - Foto: Getty Images
De manhã, logo ao acordar
Deixe o café da manhã reforçado para depois do treino. Antes do exercício, prefira alimentos ricos em amido: pães, barra de cereal, bolo, biscoito simples e frutas pobres em fibras (ameixa, pêssego e melão). "Eles são fontes de carboidratos simples, que tem absorção rápida e energia imediata para o treino, poupando a reserva de proteína que alimenta os músculos", afirma a nutricionista Graça Albuquerque, especialista em nutrição esportiva.

Evite o consumo de opções ricas em açúcar, como mel e doces, ou alimentos com alto índice glicêmico, como melancia e açúcar refinado. "Esses alimentos podem gerar um aumento rápido da glicose no sangue, o que provoca descarga imediata de insulina no sangue e, como consequência, uma possível hipoglicemia ou sensação de fraqueza durante o treino", diz a nutricionista Camila Borduqui.  


Café da manhã reforçado - Foto: Getty Images
No meio da manhã
 Três horas antes de treinar, tome um café da manhã completo, com alimentos fontes defibras - cereais, pão integral, entre outros. Quando faltar de meia hora para a atividade física, faça outra refeição mais leve, mas sem opções integrais dessa vez. "O alimento integral é digerido lentamente, ou seja, não promove um esvaziamento gástrico rápido, o que pode causar desconforto no meio do exercício", afirma Graça Albuquerque. Além disso, Camila Borduqui conta que as fibras reduzem a absorção de glicose do alimento, diminuindo o fornecimento de energia para o músculo. 


Mulher esportista com uma fruta nas mãos - Foto: Getty Images
Na hora do almoço 
Prefira os alimentos de baixo índice glicêmico para manter os níveis de glicose no sangue durante o treino. Biscoitos de água e sal, ameixa, pera, kiwi, pêssego, maçã, banana, oleaginosas e passas são algumas opções recomendadas pelas especialistas. "É melhor deixar o almoço para depois do treino, já que é uma refeição que apresenta uma grande variedade de alimentos e pode sobrecarregar o estômago durante a atividade física", afirma Camila Borduqui. Depois de almoçar, é preciso esperar de uma a duas horas para fazer exercícios, dependendo do tipo de comida que foi consumida - quanto mais gordura ou difícil de digerir, maior o tempo de repouso. 




Esportistas treinando no final do dia - Foto: Getty Images
No final da tarde
Antes de se exercitar, consuma carboidratos simples: torradas ou pão branco com geléia, castanhas, suco de frutas natural, ameixa seca, entre outras opções. O consumo de leite e derivados deve ser evitado. "Esses alimentos costumam ser de difícil digestão e podem provocar desconfortos gástricos durante o exercício", afirma Camila. Também não é recomendável ingerir alimentos fontes de fibras, já que elas possuem um índice glicêmico menor, ou seja, demoram a fornecer energia necessária para o treino.  





Mulher correndo à noite no parque - Foto: Getty Images
À noite
Nada de jantar antes da atividade física. A lógica é a mesma de quem treina na hora do almoço: uma refeição pesada pode sobrecarregar demais o organismo e prejudicar o desempenho. "Em casos de treinamento mais leve, o ideal é consumir uma fruta como maçã, pera, pêssego, maçã ou laranja ou alimentos fonte de energia (principalmente carboidratos), para preservar as reservas de energia e aproveitar o aumento do fluxo sanguíneo no tecido muscular", afirma Camila Borduqui. Se seu o treino costuma durar mais de uma hora, é melhor aprimorar ainda mais o estoque de energia: faça um sanduíche de pão com queijo branco e peito de peru.  






Homem bebendo líquidos durante musculação - Foto: Getty Images
Durante o treino 
Além de muita hidratação, as nutricionistas aconselham repor carboidratos se o treino passar de uma hora. A proporção é de 30 a 60 gramas por hora - um profissional poderá indicar a quantidade ideal ao seu organismo. "Isso é necessário para evitar a fadiga e o cansaço, já que as reservas nos músculos (glicogênio) e a glicose do sangue começam a ficar muito escassas", justifica Camila Borduqui. Barra de cereais, isotônicos(suplementos à base de maltodextrina), carboidrato em gel dissolvido em água, banana e água de coco são opções práticas que podem ser consumidas durante a atividade física. 






Mulher comendo um lanche após treinas - Foto: Getty Images
Depois do treino 
Independentemente do período do dia escolhido, é preciso reforçar a alimentação após os exercícios. "Os melhores alimentos são os ricos em carboidratos complexos e proteínas, como peixe, carne, frango, ovos, queijo, pão integral e batata doce", recomenda Graça. Antioxidantes também são importantes, pois bloqueiam a ação dos radicais livres formados durante o exercício. Exemplos: azeite, castanhas, frutas, verduras e legumes.

A ingestão de alimentos deve ser feita logo após o término do treino: entre 30 minutos e duas horas depois. "É importante respeitar essa urgência para garantir uma boa recuperação do organismo, evitando o catabolismo, ou seja, o uso de proteínas do músculo para gerar energia", explica Camila.  






sexta-feira, 9 de março de 2012

Nova dança dos cinturões para 2012

Anderson: o mais aguardado retorno ao octógono


A temporada 2012 do UFC ainda está em fase inicial, mas aponta maturidade de desafios e número de talentos elevado em praticamente todas as categorias da organização.
Cada divisão de peso já guarda peculiaridades distintas e bem definidas. Com a proposta conservadora de promover a média de dois ou três compromissos para cada campeão mantida, já é possível para traçar panorama básico do que pode ser almejado em breve.
A jornada de estreia do mini-GP dos moscas começou no UFC On FX 2 repleto de polêmicas. O resultado errado - e anulado - entre Ian McCall e Demetrious Johnson (o último foi declarado vencedor, mas o correto na soma dos pontos seria o empate), pode ter adiado os planos em médio prazo para definir o primeiro campeão da organização. A luta terá de ser realizada novamente (Joe Benavidez é o outro credenciado para a final).
Levemente propenso a cair na mesmice, os galos têm programado uma nova disputa entre o campeão Dominick Cruz e o desafiante Urijah Faber, que serão treinadores da 15ª temporada do The Ultimate Fighter e medem forças no fim do programa. O carisma relativo da dupla com o público faz a disputa ser tratada como grande apelo de marketing para esquentar os 'levinhos'.
Com isso, novidades correntes como o brasileiro Renan Barão corre o risco sério de ter de se credenciar e recredenciar para alcançar a chance de ouro contra o detentor do cinturão.
Previsibilidade pode ser (ou não) palavra de ordem nos penasAldo: dominânciaCom o domínio inerente do campeão José Aldo e a teórica defasagem atual em desafiantes com potencial suficiente para desbancá-lo, o jeito é torcer para que os próximos postulantes (sairá do encontro entre Poirier e Jung) tragam bem mais do que apenas padrão forte no wrestling, o já fadado 'antídoto' que o brasileiro cansou de neutralizar.
O chefão Dana White bem que tentou fazer o ex-campeão dos leves Frankie Edgar descer de categoria para superluta contra o habilodoso manauara e, com isso, ferver o panorama da divisão. Mas não teve jeito.
Nos leves, a grande expectativa recai na segunda parte entre Edgar e Ben Henderson, que tiveram disputa eletrizante no UFC 144 (Japão), e agora vão engrossar a estatística dos tira-teimas, vigentes na categoria há dois anos, pelo equilíbrio técnico milimétrico e inerente entre os Top 10.
O 'fator Edgar' é algo que não pode ser ignorado aqui. Tratado com requintes de 'Rocky Balboa' pelo poder de superação e entrega em cada luta, só deixará de ocupar posição como grade nome da categoria se perder novamente para Henderson.
Se até pouco tempo tudo parecia moroso entre os meio-médios, a contusão - e afastamento temporário - do supercampeão Georges St.Pierre foi o 'mal que veio para bem', e deu espaço para nomes explosivos como Jake Ellenberger e Martin Kampmann, que colaboraram para melhorar a má fama que assolava a categoria como amarrada e pragmática em excesso.
Jones: impecável?O cinturão interino conquistado por Carlos Condit (em disputa apertada contra Nick Diaz) também ampliou possibilidades em todos os sentidos. Certamente será a divisão que mais renovará o gás no ano. Querem apostar?
Médios: Anderson Silva reinará mais um ano. Aos 36 anos, o Spider deve lutar em junho, contra Chael Sonnen, no Brasil, em mais uma 'revanche do século'. Muitos já levantam as sobrancelhas para a superexposição do Spider na mídia e o suposto desleixo com os treinamentos. Mas o brasileiro ainda faz frente para qualquer um. Tomara que, além do compromisso com Sonnen, defenda o título pelo menos mais uma vez em 2012 (algo não totalmente confiável).
Jon Jones brecou a alta rotatividade de cinturão nos meio-pesados, que parecia um caminhão desgovernado até pouco tempo. O prodígio do Tio Sam segue o grande nome atual a ser batido no esporte. Nas entrelinhas, o interessante é que a regularidade de atuações do campeão é alta (em 2011 foram quatro lutas), e pelo jeito deve se manter assim também em 2012.
Isso, aliado à gama de adversários diretos com características e estilos distintos, certamente proporcionará atrações de sobra. Henderson, Gustafsson, Machida, Evans, Shogun. Tem para todos os gostos.
Categoria com reputação crescente nos últimos tempos, os pesados ainda seguem em busca de maior regularidade no UFC. A migração de nomes do Strikeforce, como Fabrício Werdum, Alistair Overeem e Antônio Pezão Silva vai multiplicar opções e dar trabalho dobrado para o atual campeão Júnior Cigano manter o cinturão.
O catarinense radicado na Bahia já tem parada indigesta pela frente, dia 26 de maio, na edição 146. Encara justamente o gigante holandês Overeem, em disputa que promete faíscas.

Fonte: Casca Grossa


A mente iluminada




P. Não teremos também nesta questão da perfeição a questão da lei kármica atuando de que, por exemplo, não somos nós, mas alguém que morreu, alguém que está ali, que está sofrendo em função de um karma, que matou, gerou um karma, que vai para algum lugar...

M. Genshô: Do ponto de vista relativo você tem razão, do ponto de vista absoluto você é a vítima do terrorista e você é o terrorista porque dentro de nós existem estas condições kármicas, nós estamos neste mundo, você poderia ter sido um terrorista se tivesse sido criado para isto, você poderia ser uma vítima, na verdade ninguém neste mundo é inocente destes crimes... Porque, na verdade, tudo isto são atos das bolhas que somos nós, lembrem da imagem das bolhas dentro da garrafa, na verdade é perfeito porque tudo era gás carbônico e nós só estamos vendo as bolhas que surgem e desaparecem...

P Mas não é perfeito como um processo em evolução?

R. Não é uma questão de evolução, ele só não é perfeito porque nós estamos aqui olhando e daí nós construímos o samsara com a nossa visão, este mesmo samsara que nós estamos olhando, este mundo de ilusões e sofrimento é o nirvana, se a nossa mente muda é o nirvana, por que é o samsara? Porque você está sonhando e é um sonho mau, mas na verdade não há este sonho mau se você acorda, e por isso é iluminação, por isso que já disse uma vez... iluminação é você receber a notícia – seu filho morreu, e você dizer: ah, está bem, porque sabe que esta morte é ilusória, aí é iluminação completa.

P. Eu sinto que eu tenho muito para pensar.

R. Na realidade este ensinamento é muito complexo, a gente só ensina assim no Zen, em qualquer escola Buddhista você vai devagar passo a passo, é no Zen que a gente diz estas coisas assim de repente e o aluno tem que ficar pensando...

Então nós estávamos falando sobre a dúvida – daigidan, então nossa fé profunda nos diz uma coisa e a nossa mente, o mundo que nós olhamos parece imperfeito, cheio de ansiedade , conflito e sofrimento e a nossa fé nos diz que a verdade é o oposto, Buddha está dizendo: não a verdade é o oposto, a verdade é o que você vê naqueles lampejos sentado na almofada, aqueles momentos claros em que tudo é lindo, perfeito, são manifestações da mente iluminada, lampejos da mente iluminada, imagine que você tivesse uma mente que fosse assim todo o tempo, sem passado, sem futuro, consciente do momento presente vivendo tudo perfeito, então seria uma mente iluminada...

Postado por Monge Genshô às 08:43


quinta-feira, 8 de março de 2012

Anderson Silva lança bíblia para "compartilhar" técnicas de MMA



Considerado pelo presidente do Ultimate Fighting Championship, Dana White, o principal lutador da história do MMA, Anderson Silva "revelará" as técnicas que o tornaram o campeão da categoria dos médios do UFC.

O lutador lançará na próxima semana o livro A bíblia do MMA - As técnicas do maior lutador da atualidade, publicação na qual ensinará o que aprendeu durante a vitoriosa carreira. » De A a Z: saiba tudo sobre o campeão Anderson Silva » De Teló a Bocelli; veja músicas de entrada dos lutadores no octógono

O livro é fruto de uma parceria entre Anderson Silva, Erich Krauss e Glen Cordoza, que já lançaram a obra nos Estados Unidos. Na publicação, o "Aranha" apresenta mais de 150 técnicas utilizadas em seus combates, em mais de 1.500 fotografias, de ângulos diferentes, com o objetivo de ensinar o estilo de luta do campeão dos médios.

"Ao longo deste livro, mostrarei combinações de golpes e contra-ataques que requerem uma transição entre as posturas alta e baixa. Muitas dessas técnicas também exigem que você se mantenha em movimento e desfira golpes enquanto faz a transição entre as posturas", escreve Anderson Silva na introdução da "bíblia".

A publicação é dividida em cinco partes: postura e trabalho com os pés, contramovimentos, técnicas ofensivas, ataques e contra-ataques. O lutador brasileiro tentará explicar no papel como ter o timing, precisão e distância correta para combinar melhor os golpes, produzindo um impacto maior sobre os adversários.


FICHA TÉCNICA Livro:

A bíblia do MMA - As técnicas do maior lutador da atualidade
Autores: Anderson Silva, Erich Krauss e Glen Cordoza
 Editora: Universo dos Livros
 Nº de páginas: 358
 Preço: R$69,90

Fonte: Terra